Jundiaí / SP - domingo, 17 de janeiro de 2021

DÚVIDAS

Angiologia e Cirurgia Vascular

 Muitas pessoas, por falta de conhecimento, acreditam que a atuação do  cirurgião vascular e  angiologista   está restrita ao tratamento de varizes. No entanto, diversas moléstias atingem o sistema vascular, encarregado de distribuir o sangue pelo corpo humano. O cirurgião vascular e  angiologista é o médico especialista, que tem como objetivo manter a integridade de artérias, veias e vasos linfáticos, prevenindo e tratando as doenças vasculares.

Veias, Vasos e Artérias, onde está a diferença?
Em nosso organismo possuímos três tipos de circulação: a arterial, que leva o sangue do coração ao resto do corpo; a venosa, que é responsável pela drenagem do sangue das extremidades do corpo para o coração; e a linfática, cuja função é drenar o interstício. Algumas tarefas e características diferenciam estas áreas do sistema vascular.
  • Artérias: São responsáveis pelo transporte do sangue oxigenado aos tecidos e por trabalharem próximo ao coração são constituídas de uma espessa camada muscular capaz de suportar grandes pressões.
  • Veias: Têm a função de trazer o sangue da periferia para o coração, atuam com pressões baixas ou negativas, por isso, possuem paredes mais finas.
  • Vasos Linfáticos: Transportam a linfa até a veia subclávia esquerda destinando este líquido para a circulação sistêmica. Alterações nestas estruturas podem ocasionar graves edemas.
  • Varizes: As varizes são o resultado da dilatação das veias superficiais. Se dividem em primárias e secundárias ocorrendo com maior freqüência nos membros inferiores. São sempre visíveis e às vezes palpáveis.
As varizes secundárias são as que possuem um nítido fator causal, sendo
mais comuns aquelas que surgem após uma trombose Venosa - doença venosa que consiste no entupimento e inflamação da veia. As tromboses venosas são muito graves porque podem levar à embolia pulmonar - deslocamento de um coágulo para os pulmões -, o que pode causar a morte.
O paciente que tiver uma tromboflebite e não fizer o tratamento adequado irá desenvolver, com o passar do tempo, a síndrome pós-flébitica que tem na úlcera de perna uma de suas mais graves manifestações. Já as varizes primárias não apresentam uma causa evidente. As principais queixas clínicas dos pacientes são: dor, sensação das pernas estarem pesadas e inchaço dos membros. Para sanar estes problemas ocasionados pelas varizes o paciente precisa ir além do uso dos medicamentos ou da cirurgia.

Para não sofrer com varizes é recomendável seguir estas dicas:
  • Evite ganhos exacerbados de peso.
  • Mantenha uma dieta rica em fibras para evitar a constipação intestinal.
  • Procure não permanecer muito tempo parado em pé ou sentado
  • Não use cintas abdominais apertadas.
  • Realize caminhadas e/ou exercícios físicos com supervisão médica.
  • Não fume!
  • Utilize sistematicamente meias elásticas, principalmente durante a gravidez
  • Evite hormônios anticoncepcionais
  • Consulte regularmente seu cirurgião vascular.
Não existe nenhuma relação estabelecida entre a formação de varizes e depilação ou uso de salto alto, assim como não há influência relativa a carregar peso. Atletas, remadores, halterofilistas e fisiculturistas têm maior predisposição para ocorrência de tal enfermidade, pois nesses exercícios exige-se grande aumento da pressão intra-abdominal.
  • Grupo de risco: As mulheres têm 2,3 vezes mais chances de serem acometidas por varizes do que os homens. Durante a gravidez o aumento dos hormônios femininos e a compressão das veias pelo útero estimulam o surgimento de varizes. A propensão para desenvolver a doença aumenta se houverem portadores na família ou se, ao exercer a profissão, o indivíduo ficar por muito tempo de pé. Obesidade, prisão de ventre, uso constante de pílula anticoncepcional e problemas ortopédicos também favorecem o surgimento da doença.